Ansiedade no Trabalho: Como Você Pode Controlar

É provável que você já tenha ouvido falar de casos de ansiedade no trabalho.

Isso porque diversas situações podem causar esse sentimento, como ter prazos a cumprir, dificuldade para lidar com os colegas ou sobrecarga de tarefas.

Como a maioria de nós passa boa parte do dia trabalhando, lidar com a ansiedade no trabalho é muito importante.

Por isso, nesse artigo vamos entender mais sobre esse tipo de ansiedade.

Além disso, você verá algumas dicas práticas que podem ajudá-lo.

O que é ansiedade no ambiente de trabalho?

A ansiedade no trabalho é o sentimento de ansiedade que tem relação com o ambiente corporativo. Ou seja, é quando você sente medo, apreensão ou preocupação excessiva acerca do seu trabalho, funções e relações profissionais.

Mas, em primeiro lugar, é importante lembrar que algum grau de ansiedade é um sentimento normal em todos nós.

Ou seja, sentir-se ansioso ao trabalhar em um projeto novo ou com metas e prazos para cumprir é comum.

No entanto, é preciso estar atento a intensidade e frequência desse sentimento.

Isso porque, em excesso, a ansiedade no ambiente de trabalho pode atrapalhar seu desempenho e prejudicar sua saúde.

O que causa ansiedade no trabalho?

O ambiente de trabalho por si só já pode apresentar situações desafiadoras que podem gerar estresse.

Quando essas situações se tornam muito frequentes, todo o estresse pode gerar ansiedade, por exemplo (1):

  • Sobrecarga de tarefas
  • Preocupações excessivas
  • Excesso de responsabilidades
  • Ambiente de trabalho competitivo, agressivo ou abusivo
  • Muitos prazos a serem cumpridos
  • Cobrança excessiva por resultados

Complicações da ansiedade no trabalho (2)

Lidar com ansiedade em excesso no trabalho pode afetar diretamente nosso desempenho profissional.

Mas além disso, outras questões sociais e emocionais também podem ser prejudicadas.

Por isso, a ansiedade no trabalho pode causar:

  • Queda na produtividade
  • Dificuldade na relação com colegas de trabalho
  • Insatisfação profissional
  • Aumento nas faltas
  • Baixa auto estima

Por fim, é importante ressaltar que estar exposto ao estresse e ansiedade em grande intensidade pode acarretar em problemas sérios de saúde.

Como: transtornos de ansiedade, síndrome de burnout (3) (esgotamento mental e físico causado por exaustão no trabalho).

Nesse sentido, tentar amenizar e lidar com os sintomas de ansiedade é o melhor caminho para evitar essas complicações.

Como lidar com a ansiedade no trabalho?

Faça intervalos

Isso porque muitas pessoas desenvolvem ansiedade ao tentar forçar os seus limites para fazer a maior quantidade de tarefas possível.

No entanto, essa prática pode te sobrecarregar.

Então, tentar fazer pequenos intervalos ao longo do dia pode reduzir sua ansiedade e estresse.

Tente ficar longe das telas, foque na sua respiração e, se puder, ande um pouco.

Converse com alguém de confiança

É comum que a ansiedade apareça quando estamos com muitos pensamentos na cabeça

Por exemplo: aquele prazo a cumprir, apresentações, reuniões.

Por isso, compartilhar o que você sente e pensa com um colega pode aliviar o estresse.

Além disso, seu colega pode conseguir ajudá-lo a realizar as tarefas com mais facilidade.

Pratique exercícios

É provável que você já conheça os benefícios do exercício físico para sua saúde.

Além disso, a prática regular de atividades físicas tem um impacto positivo para a diminuição da ansiedade (4).

Por exemplo, uma caminhada ou corrida rápida já podem ajudar a diminuir o estresse e a ansiedade.

Reduza o consumo de cafeína

O café pode ser um bom aliado quando precisamos daquela energia para trabalhar.

No entanto, beber muito café pode produzir os mesmos efeitos da ansiedade no seu corpo (5).

Além disso, se você já estiver estressado, a cafeína pode aumentar ainda mais o nervosismo.

Por isso, o ideal seria tomar bebidas descafeinadas ou chás naturais.

Mindfulness (6)

Essa técnica, também conhecida como ‘atenção plena’, tem como objetivo focar no momento presente de maneira consciente.

Ou seja, tentar afastar os pensamentos externos e distrações.

Na prática, você consegue relaxar com atitudes simples como prestar atenção na sua respiração ou focar em perceber pequenos elementos (como sons, imagens ou cheiros) do ambiente em que você está.

Além disso, práticas como yoga ou meditação podem ser uma boa opção.

Quando procurar ajuda?

Por fim, é importante lembrar que quando os efeitos da ansiedade no trabalho estão muito frequentes ou muito intensos, procurar por ajuda profissional é fortemente recomendável.

Isto é, buscar ajuda de psicólogos e médicos psiquiatras que podem auxiliar no enfrentamento do estresse e da ansiedade.

Este artigo te ajudou?

Graduanda em enfermagem pela Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB - UNESP). Entrei na faculdade movida pela paixão e vocação de cuidar e ajudar as pessoas.Aqui no Vitalismo, tive oportunidade de alcançar e ajudar muitas pessoas além de meus pacientes.Desde o início da faculdade, minha área de interesse e vocação é a saúde da mulher (ginecologia e obstetrícia). Por isso, sempre estive envolvida em projetos de iniciação científica e de extensão que abordassem essa temática.Já fui presidente da liga de ginecologia da UNESP, organizei eventos e simpósios sobre o tema.Atualmente sou coordenadora do projeto Papo de Parto, em parceria com a UNESP e PROEX. Além disso, se você estiver em algum evento de ginecologia e obstetrícia, pode me procurar pois estarei lá!

William Fan (Revisor)

William Fan é médico graduado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) - Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB). Fez estágios clínicos em Oncologia Clínica e Medicina de Emergências na Prince of Wales Hospital, afiliada da University of New South Wales, Sydney, Australia (UNSW) e que faz parte do prestigiado Group of Eight, grupo que reúne as 8 instituições líderes de excelência em ensino e pesquisa da Austrália. Além disso, colaborou no desenvolvimento de um projeto científico da Centre for Vascular Research, na UNSW. Tem também publicações científicas em periódicos (revistas) internacionais de impacto na comunidade científica em áreas de pesquisa experimental e pesquisa clínica, abrangendo as áreas de biologia do câncer, doenças cardiovasculares, além de ser co-autor de uma revisão sistemática e meta-análise. Foi certificado pelo programa Sharpen Your Communication Skills da Stanford Graduate School of Business. Atualmente é revisor científico do Vitalismo. Seus interesse incluem entender como aplicar o conhecimento das pesquisas científicas com os melhores níveis de evidência no desenvolvimento de tecnologias para melhorar a saúde das pessoas. Nos momentos livres, gosta de estudar idiomas (atualmente fala Inglês, Chinês Mandarim e Alemão), fazer leituras, acompanhar debates inteligentes, jogar basquete e experimentar diferentes culinárias.

Este artigo não possui comentários
      Deixe seu comentário

      O seu endereço de email não será publicado.