Como Controlar a Ansiedade: Saiba Formas Práticas de Lidar

    Saber como controlar a ansiedade pode ser uma das aptidões mais úteis do século 21.

    Afinal, pesquisas populacionais em grande escala apontam que cerca de 34% da população deve ter algum tipo de transtorno de ansiedade ao longo de suas vidas (1).

    Sendo assim, os impactos dos transtornos ansiosos não se restringem somente ao prejuízo na capacidade de uma pessoa se relacionar ou fazer as atividades diárias. 

    Eles também podem resultar em uma alta carga de custos à economia global, por comprometer a saúde ou disposição para trabalhar.

    Portanto, entender como controlar a ansiedade deve se tornar um tema cada vez mais presente nas discussões da sociedade como um todo.

    O que é bom para diminuir a ansiedade?

    A princípio, há diferentes estratégias que podem ser eficazes para reduzir os sintomas de ansiedade. Por exemplo:

    • Diminuir o consumo de café ou outras bebidas com cafeína
    • Fazer exercícios físicos regularmente
    • Praticar técnicas voltadas para o equilíbrio do corpo e da mente, tais como os exercícios de respiração e de relaxamento muscular
    • Evitar o uso de medicamentos ou substâncias que possam intensificar sintomas de ansiedade
    • Terapias como a terapia cognitivo comportamental
    • Uso de medicações para amenizar tanto as crises agudas (de curto prazo) de ansiedade e ou para tratar ao longo do tempo, quando usadas diariamente

    Além disso, vale destacar que a terapia cognitivo comportamental consiste basicamente em conversas com profissionais qualificados.

    Com isso, eles podem ajudar a pessoa a trabalhar melhor os pensamentos distorcidos que podem estar resultando em sentimentos e ações indesejáveis.

    Como baixar a ansiedade rapidamente?

    Em princípio, pode variar bastante a técnica mais adequada para se aliviar um episódio de ansiedade. 

    Isso porque há diferentes graus de ansiedade e variadas manifestações físicas e mentais possíveis. 

    Em geral, quadros muito intensos de ansiedade podem obter alívio com uso de medicamentos da classe dos benzodiazepínicos, embora não se recomende o uso deste medicamento por tempo prolongado.

    Ou seja, é importante ter a consciência de que o uso diário desta classe de medicação pode ser danoso para a saúde em longo prazo.

    Além disso, uma outra classe de medicamentos que tem utilidade para uso em circunstâncias restritas são os beta-bloqueadores.

    Em todo caso, é extremamente importante que você converse com seu médico para entender os riscos e efeitos colaterais possíveis por conta do seu uso.

    Por fim, vale dizer que há muitas outras ações não medicamentosas que podem ajudar a diminuir a ansiedade no dia a dia.

    Nesse sentido, boas práticas ou hábitos saudáveis que você incorpora na sua vida podem contribuir para uma vida com menos estresse, medos ou preocupações.

    Veja a seguir alguns exemplos.

    Como controlar a ansiedade: o que fazer para se acalmar?

    Em primeiro lugar, é importante termos a consciência de que para se acalmar o foco deve ser usar estratégias para evitar o estresse ou minimizar os efeitos dele.

    Isso porque, geralmente, a ansiedade é o medo ou a preocupação que temos em reação a eventos, situações ou assuntos estressantes.

    Sendo assim, um dos modos mais eficientes de se acalmar é adotar um estilo de vida melhor.

    Isto é, com práticas que contribuem para deixar a vida mais organizada e com maior senso de propósito.

    Por exemplo, ter uma lista de prioridades das suas atividades da semana, do mês ou do ano.

    Ou ainda, estabelecer objetivos de vida para ajudar a trazer maior clareza nas decisões importantes.

    Além disso, cultivar bons relacionamentos é um aspecto fundamental para proporcionar maior satisfação na vida, sem contar que pode se tornar uma fonte de suporte para momentos de dificuldades emocionais.

    Com isso, podemos perceber como controlar a ansiedade é uma discussão altamente necessária e que pode exigir diversas abordagens para que os resultados sejam positivos.

    Este artigo te ajudou?
    (Autor)

    William Fan é médico graduado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) - Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB). Fez estágios clínicos em Oncologia Clínica e Medicina de Emergências na Prince of Wales Hospital, afiliada da University of New South Wales, Sydney, Australia (UNSW) e que faz parte do prestigiado Group of Eight, grupo que reúne as 8 instituições líderes de excelência em ensino e pesquisa da Austrália. Além disso, colaborou no desenvolvimento de um projeto científico da Centre for Vascular Research, na UNSW. Tem também publicações científicas em periódicos (revistas) internacionais de impacto na comunidade científica em áreas de pesquisa experimental e pesquisa clínica, abrangendo as áreas de biologia do câncer, doenças cardiovasculares, além de ser co-autor de uma revisão sistemática e meta-análise. Foi certificado pelo programa Sharpen Your Communication Skills da Stanford Graduate School of Business. Atualmente é revisor científico do Vitalismo e entusiasta da conciliação entre as pesquisas científicas com os melhores níveis de evidência e o desenvolvimento de tecnologias para melhorar a saúde das pessoas. Nos momentos livres, gosta de estudar idiomas (atualmente fala Inglês, Chinês Mandarim e Alemão), fazer leituras, acompanhar debates inteligentes, jogar basquete e experimentar diferentes culinárias.

    Este artigo não possui comentários
        Deixe seu comentário

        O seu endereço de email não será publicado.