O Que a Ansiedade Pode Causar: Efeitos no Corpo e na Mente

    Entender o que a ansiedade pode causar no corpo e na mente das pessoas é um conhecimento muito importante.

    Isso porque há muitas pessoas que enfrentam quadros muito intensos de ansiedade a ponto de interferir na capacidade de realizar as atividades diárias.

    Além disso, é comum que muitos sintomas que aparecem podem se confundir com outros problemas de saúde que não possuem relação com condições de saúde mental.

    Portanto, neste artigo, você terá a oportunidade de ler sobre o que a ansiedade pode causar, tendo em vista os diferentes tipos de ansiedade.

    O que a ansiedade pode causar no corpo?

    Há diversas formas que o corpo pode reagir diante de um quadro de ansiedade, por exemplo:

    • Aumento da frequência de batimentos do coração (palpitações)
    • Respirações rápidas e curtas (taquipnéia)
    • Dor de barriga (também pode ter náusea e diarreia)
    • Cansaço extremo (além de dificuldade de ter sono de qualidade)
    • Dores de cabeça
    • Diminuição da capacidade de concentração
    • Irritabilidade
    • Aumento da pressão arterial
    • Maior tensão e dores nos músculos em localizações difusas
    • Diminuição da libido (menor desejo sexual)

    Por fim, é importante lembrar que não há nenhum sintoma físico que confirme a presença de ansiedade como motivo das alterações no corpo.

    Quais são os piores sintomas da ansiedade?

    Em geral, os piores sintomas são aqueles que causam maior limitação na capacidade funcional de uma pessoa. Por exemplo, quando há prejuízo intensos nos relacionamentos, no desempenho escolar ou no trabalho. Apesar disso, não é possível dizer de modo absoluto qual sintoma é o pior em um quadro de ansiedade.

    Em princípio, os sintomas de ansiedade podem variar conforme diversos fatores. 

    Sendo assim, há diferentes sintomas que podem ser mais marcantes para cada tipo de ansiedade.

    Nesse sentido, em um ataque de pânico, a sensação de falta de ar e até mesmo de sufocamento pode ser algo muito assustador.

    Já em casos de agorafobia, o medo excessivo de ficar sem receber ajuda, caso apresente algum mal-estar em local público, pode ser uma sensação insuportável (1).

    Por outro lado, ter diarreias frequentes, comum em diversos transtornos de ansiedade, pode ser um aspecto muito limitante para realizar atividades do dia a dia, sem saber se haverá um banheiro por perto.

    Além disso, em pessoas que já possuem comorbidades (outras condições de saúde que acompanham o problema principal) a ansiedade pode ser mais uma situação de agravo.

    Por exemplo, pessoas que possuem a doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica) podem estar sob maior risco de hospitalização por conta de um transtorno ansioso (2).

    Em alguns casos, é possível até que o estresse crônico possa levar a um estado de imunidade mais vulnerável (3).

    Com isso, o organismo passa a ter mais riscos de não conseguir enfrentar com eficácia algum tipo de infecção que venha a sofrer.

    O que a ansiedade pode causar: sintomas que podem ser confusos

    De qualquer modo, a mensagem importante aqui é que você entenda que muitos sintomas físicos também podem ter relação com transtornos de ansiedade.

    Portanto, é importante ter isso em consideração ao conversar com um profissional da área de saúde.

    Por fim, é altamente recomendável que você nunca faça um diagnóstico de si mesmo, sem consultar um profissional médico habilitado.

    Como saber se estou tendo um ataque de ansiedade?

    Em geral, é difícil fazer um diagnóstico de um ataque de ansiedade em si mesmo, sem o auxílio de um profissional habilitado. 

    Além disso, também vale lembrar que os termos “ataque de ansiedade” ou “crise de ansiedade” não são amplamente usados na literatura médica. 

    De qualquer modo, a suspeita do que se convém chamar de “ataque de ansiedade” pode ocorrer quando há medo ou preocupação excessivos que acompanhem algum tipo de sintoma físico.

    De qualquer forma, observa-se que o que a ansiedade pode causar é muito vasto em termos manifestações físicas ou mentais.

    Sendo assim, jamais tome decisões baseadas unicamente em conclusões sem o auxílio de um médico ou outro profissional qualificado.

    Este artigo te ajudou?
    (Autor)

    William Fan é médico graduado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) - Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB). Fez estágios clínicos em Oncologia Clínica e Medicina de Emergências na Prince of Wales Hospital, afiliada da University of New South Wales, Sydney, Australia (UNSW) e que faz parte do prestigiado Group of Eight, grupo que reúne as 8 instituições líderes de excelência em ensino e pesquisa da Austrália. Além disso, colaborou no desenvolvimento de um projeto científico da Centre for Vascular Research, na UNSW. Tem também publicações científicas em periódicos (revistas) internacionais de impacto na comunidade científica em áreas de pesquisa experimental e pesquisa clínica, abrangendo as áreas de biologia do câncer, doenças cardiovasculares, além de ser co-autor de uma revisão sistemática e meta-análise. Foi certificado pelo programa Sharpen Your Communication Skills da Stanford Graduate School of Business. Atualmente é revisor científico do Vitalismo e entusiasta da conciliação entre as pesquisas científicas com os melhores níveis de evidência e o desenvolvimento de tecnologias para melhorar a saúde das pessoas. Nos momentos livres, gosta de estudar idiomas (atualmente fala Inglês, Chinês Mandarim e Alemão), fazer leituras, acompanhar debates inteligentes, jogar basquete e experimentar diferentes culinárias.

    Este artigo não possui comentários
        Deixe seu comentário

        O seu endereço de email não será publicado.