Qual o Melhor Remédio Para Ansiedade?

    Descobrir qual o melhor remédio para ansiedade é uma das perguntas mais comuns que muitas pessoas fazem atualmente.

    Em geral, o desejo por trás desta pergunta é chegar em uma solução rápida e eficaz para os problemas de ansiedade.

    No entanto, é importante lembrarmos que o controle da ansiedade têm maiores chances de trazer resultados satisfatórios quando há uma abordagem completa.

    Isto é, quando o tratamento não tem como único elemento o uso de medicações, mas também outras medidas como psicoterapia e mudança em hábitos de vida.

    Apesar disso, sabemos que a medicação tem o seu espaço e vamos comentar pontos importantes para que você entenda qual o melhor remédio para ansiedade.

    Qual é o melhor remédio para ansiedade?

    O grupo de medicamentos mais utilizado no tratamento de ansiedade recebe o nome de antidepressivos. Nesse sentido, podem incluir classes como ‘inibidores seletivos de recaptação de serotonina’ (1) ou ‘inibidores seletivos de recaptação de serotonina e norepinefrina’. 

    Apesar de ser contra intuitivo, o que ocorre é que alguns dos medicamentos que se utilizam no tratamento de depressão também podem servir para o tratamento de transtornos de ansiedade.

    Em todo caso, ter a orientação de um médico qualificado é fundamental para saber qual a melhor alternativa e melhor forma de uso para o seu caso.

    Além disso, em certas circunstâncias, é possível que o médico prescreva medicamentos sedativos: os benzodiazepínicos.

    Em outros casos, os betabloqueadores também podem ser uma opção.

    De qualquer modo, não é recomendável se utilizar estas duas últimas classes de medicamentos para tratamentos em longo prazo de ansiedade.

    Por fim, é sempre importante lembrar que o melhor medicamento também pode variar conforme fatores como a resposta individual de cada pessoa ou a regularidade do uso.

    Qual remédio para ansiedade não precisa de receita?

    Em princípio, os medicamentos que se prescrevem para o tratamento de transtornos de ansiedade sempre necessitam de receita médica. 

    Ou seja, é necessário que um médico com registro profissional ativo realize a emissão de um receituário para que você consiga adquirir o medicamento.

    No entanto, sabemos que a ansiedade é uma condição que envolve muitos fatores.

    Desse modo, as medidas que contribuem para a melhora de um quadro de ansiedade vão além das opções farmacológicas (medicamentos).

    Por exemplo, inclua nos seus hábitos a prática de atividade física ou reservar um tempo de relaxamento, como os exercícios de respiração ou meditação.

    Além disso, evite tomar café ou outras bebidas cafeinadas e converse com o seu médico para saber se não há medicamentos que você usa que podem intensificar os sintomas de ansiedade.

    Por fim, mas não menos importante, considere os benefícios de se fazer psicoterapia, que consiste em conversas com profissionais qualificados, como os psicólogos.

    Isso poderá ajudar a trabalhar aspectos do pensamento que podem refletir na melhora na tomada de decisão e nos sentimentos.

    O que fazer para acabar com a crise de ansiedade?

    Como vimos, não há uma única forma de se acabar com a ansiedade. 

    Uma abordagem abrangente aumenta as chances de se reduzir os impactos indesejáveis da ansiedade.

    Consultar profissionais da área de saúde com a qualificação para cuidar de casos de ansiedade é um passo muito importante que você pode realizar.

    Com isso, você terá a oportunidade de discutir formas de tratamento que funcionem melhor para o seu caso, seja com uso de medicamentos ou não.

    Portanto, saber qual o melhor remédio para ansiedade é uma questão que varia conforme o caso individual de cada pessoa.

    Este artigo te ajudou?
    (Autor)

    William Fan é médico graduado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) - Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB). Fez estágios clínicos em Oncologia Clínica e Medicina de Emergências na Prince of Wales Hospital, afiliada da University of New South Wales, Sydney, Australia (UNSW) e que faz parte do prestigiado Group of Eight, grupo que reúne as 8 instituições líderes de excelência em ensino e pesquisa da Austrália. Além disso, colaborou no desenvolvimento de um projeto científico da Centre for Vascular Research, na UNSW. Tem também publicações científicas em periódicos (revistas) internacionais de impacto na comunidade científica em áreas de pesquisa experimental e pesquisa clínica, abrangendo as áreas de biologia do câncer, doenças cardiovasculares, além de ser co-autor de uma revisão sistemática e meta-análise. Foi certificado pelo programa Sharpen Your Communication Skills da Stanford Graduate School of Business. Atualmente é revisor científico do Vitalismo. Seus interesse incluem entender como aplicar o conhecimento das pesquisas científicas com os melhores níveis de evidência no desenvolvimento de tecnologias para melhorar a saúde das pessoas. Nos momentos livres, gosta de estudar idiomas (atualmente fala Inglês, Chinês Mandarim e Alemão), fazer leituras, acompanhar debates inteligentes, jogar basquete e experimentar diferentes culinárias.

    Este artigo não possui comentários
        Deixe seu comentário

        O seu endereço de email não será publicado.