Metabolismo: Como Saber se o Meu é Lento ou Acelerado?

    O metabolismo se refere ao conjunto de reações bioquímicas que ocorrem por todo o nosso corpo (1).

    Provavelmente você já ouviu algumas pessoas dizendo: “Meu metabolismo é acelerado, por isso eu sou magro”.

    Ou então “Meu metabolismo é lento, por isso eu engordo fácil”.

    Sendo assim, se você quer entender o que isso significa, acompanhe este artigo sobre o metabolismo.

    Além disso, irá entender o conceito “chave” para aumentar ou diminuir o seu peso.

    Qual é a função do metabolismo?

    Todas as transformações bioquímicas que ocorrem pelo nosso corpo constituem o que se convém chamar de metabolismo. Sua principal função é a de fornecer a energia necessária e garantir a manutenção da vida. A fim de cumprir esse papel existem duas reações principais: o anabolismo e o catabolismo.

    Nesse sentido, o anabolismo corresponde às reações de síntese (“construção”) no nosso corpo, como:

    • Formação de músculos
    • Acúmulo de gordura

    Note que esses tipos de reações contribuem com a função de formar reservas de energia.

    Isso é importante para viabilizar a sobrevivência em tempos de escassez ou privação prolongada de alimentos.

    Por exemplo, o caso da formação do tecido adiposo é o que faz surgir a “gordurinha” que mencionamos no início.

    Além disso, um outro tipo de reserva energética que nosso organismo possui é o de carboidratos.

    Essas reservas ocorrem na forma de glicogênio (açúcares que se agregam), nos músculos (2) e no fígado (3).

    Nesse sentido, em períodos de jejum por um período longo, estas reservas podem ser “acionadas” pelo organismo para se obter energia.

    Por outro lado, no caso do catabolismo, o que ocorre são reações de degradação (ou “quebra”), que é o processo contrário do anabolismo, como:

    • Oxidação de gorduras (“queima de gorduras”)
    • Degradação muscular (perda de proteínas dos músculos)
    • Digestão das refeições

    Nesse caso, vemos exemplos de reações que utilizam os “combustíveis”, como as reservas de gordura ou, de modo menos desejável, as de proteínas (músculos) (4,5).

    Por fim, vale lembrar que as reações de anabolismo e catabolismo podem ocorrer a todo momento e em momentos distintos.

    Com isso, o objetivo é que se mantenha o equilíbrio (homeostase) no organismo.

    Taxa metabólica basal

    Para cada um de nós respirar, manter os batimentos do coração ou o controle de temperatura, gasta-se uma quantidade mínima de energia.

    A taxa metabólica basal corresponde a essa quantidade de energia (ou calorias) que o corpo “gasta” para manter cada um de nós vivos (6).

    Além disso, cada ser humano possui sua própria taxa e ela varia conforme a sua composição corporal.

    Ou seja, sabemos que o corpo humano possui muita água, mas também músculos, gordura e ossos.

    Porém, o que irá influenciar sua taxa metabólica neste caso serão as quantidades relativas de gordura e de músculos.

    Portanto, se uma pessoa possui 85% de massa muscular e 15% de gordura ela possuirá uma taxa alta.

    Já no caso de uma pessoa com 60% de massa muscular e 40% de gordura, a taxa metabólica será bem menor.

    Contudo, entenda essas citações apenas como exemplos ilustrativos simples, pois existem vários métodos diferentes para fazer este tipo de análise.

    Isso significa que, no primeiro exemplo, temos um metabolismo acelerado.

    Enquanto que, no segundo exemplo, temos um metabolismo lento.

    Além da composição corporal, existem outros fatores que podem influenciar a variação dessa taxa, como:

    • Idade
    • Fatores genéticos
    • Sexo
    • Nível de atividade (como frequência e intensidade de atividade física)
    • Estado de saúde (presença ou ausência de doenças)

    Dessa forma, entenda que a composição dessa taxa considera apenas o gasto de energia para nos manter vivos.

    Como exemplo, de modo simplificado, podemos dizer que se você ficar o dia inteiro deitado, seu gasto será exatamente a taxa metabólica basal.

    Logo, quando você realiza outras atividades ao longo do dia, elas influenciam no aumento do seu gasto de calorias.

    De modo similar, um carteiro, que caminha o dia todo, gasta mais calorias que um secretário trabalhando sentado.

    O conceito “chave” do aumento ou da perda de peso

    Até aqui, compreendemos que todo ser humano possui a sua quantidade específica de calorias necessárias por dia, para preservar funções vitais.

    E que isso corresponde à taxa metabólica basal.

    Além disso, o total de energia que se gasta diariamente equivale a essa taxa acrescida da quantidade de calorias que se gasta com as demais atividades (como exercícios físicos).

    Portanto, se você deseja aumentar o peso, a quantidade de calorias ingeridas na alimentação deve ser maior que esse total de energia gasta.

    Por outro lado, para diminuir o peso, você precisará consumir alimentos que, na sua totalidade, tenham menos calorias do que esse total de energia.

    Além disso, lembre-se que a sua composição corporal será um outro fator que interfere no metabolismo, e portanto, na facilidade maior ou menor de se alcançar o objetivo.

    Sem contar que há também os fatores como a idade, a genética, o sexo ou seu estado de saúde.

    Sendo assim, lembre-se que a dieta nada mais é do que parte da estratégia (7), a qual poderá ser criada em conjunto com um nutricionista.

    Este artigo te ajudou?
    (Autor)

    Olá! Meu nome é César Lima, sou técnico em química formado pela ETEC Dr. Celso Giglio (2017) e estudo nutrição na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP). Atualmente, participo do Projeto Unificado de Bolsas da Universidade de São Paulo (PUB-USP) desenvolvendo um trabalho coordenado pelo Professor Dr. Wolney Lisboa Conde juntamente do Laboratório de Avaliação Nutricional de Populações (LANPOP) com o intuito de produzir materiais de estudo baseados em entrevistas com importantes pesquisadores brasileiros (Carlos Augusto Monteiro, Renata Bertazzi Levy, Malaquias Batista Filho, Cesar G. Victora) nas áreas de "epidemiologia nutricional" e "avaliação nutricional" essencialmente. Além disso, possuo experiência com controle de qualidade em Unidades de Alimentação e Nutrição (UAN), ministrando treinamentos para novos estagiários. Nos momentos livres gosto de ler e principalmente me exercitar.

    Este artigo não possui comentários
        Deixe seu comentário

        O seu endereço de email não será publicado.