Plano de saúde: O Que Você Deve Considerar Para escolher?

    O plano de saúde é um serviço privado (de empresas ou corporativas) que presta assistência médica e hospitalar.

    No Brasil, vem crescendo a busca por esse tipo de serviço nos últimos anos.

    Apenas em 2020, o número de pessoas que eram beneficiárias de algum plano privado de saúde passou de 47 milhões (1).

    Mas afinal, como escolher um plano de saúde?

    Nesse artigo, você vai entender quais são os tipos de plano e como funcionam.

    Além disso, vai ler sobre quais os seus direitos ao contratar um plano.

    Como funciona o pagamento do plano de saúde?

    Em geral, a cobrança do plano de saúde é feita mensalmente. Todas as informações sobre essa cobrança (valor, data de vencimento, tipo de débito) devem estar claras no contrato no momento da contratação. Além disso, é importante estar ciente de que todos os anos, a mensalidade pode sofrer aumento com os reajustes.

    Como escolher o plano de saúde ideal?

    Em primeiro lugar, é importante saber que, por se tratar de um serviço privado, cada empresa vai possuir características próprias (como valores, políticas e contratos).

    No entanto, no Brasil, todos os planos de saúde devem ser regulamentados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

    Por isso, podem existir muitas similaridades entre os planos.

    Então, para encontrar o plano ideal para você, é preciso avaliar alguns pontos e ver o que se encaixa melhor para a sua necessidade e realidade.

    Tipos de plano

    Para começar, existem três tipos de contratação (2):

    • Plano de saúde individual ou familiar: é você quem busca o plano para você ou sua família
    • Coletivo (por adesão): o sindicato ou associação profissional a qual você pertence busca e contrata o serviço para você
    • Plano de saúde empresarial: tem associação com a sua empresa, sendo que ela é que vai contratar o plano

    Onde você gostaria de ser atendido?

    Essa deve ser uma questão importante para você e sua família.

    Isso porque, a abrangência (onde você vai poder ser atendido) dos planos pode variar, por exemplo:

    • Todo o Brasil (plano com abrangência nacional)
    • Alguns estados
    • Uma única cidade
    • Um único estado
    • Algumas cidades e estados

    Tipo de cobertura

    Aqui, você vai analisar a segmentação assistencial (3), ou seja, quais os tipos de serviço em saúde que você deseja que estejam inclusos no seu plano.

    É importante lembrar que esses serviços vão ter ligação com o valor final do plano.

    De maneira geral, o plano mais simples é o ambulatorial (que cobre exames e consultas, por exemplo).

    E o mais completo é chamado de referência (cobre exames, consultas, terapias, internações, partos).

    Dessa forma, o seu plano pode ser:

    • Ambulatorial
    • Hospitalar sem obstetrícia (internações sem cobertura para parto)
    • Hospitalar com obstetrícia (cobre internações e parto)
    • Ambulatorial e hospitalar
    • Odontológico (apenas consultas e exames com dentista)
    • Referência

    Por fim, é importante saber que para cada uma dessas coberturas, existe uma lista de procedimentos que são obrigatórios, previstos pela ANS.

    Esses procedimentos obrigatórios devem estar cobertos no seu contrato.

    Para verificar se algum procedimento é de cobertura mínima obrigatória, você pode consultar o site da ANS.

    Rede de prestadores

    Isso significa quais são os profissionais ou estabelecimentos que vão aceitar o seu plano de saúde.

    Portanto, você deve analisar quais são os hospitais, clínicas ou laboratórios para exames próximos a você.

    Além disso, busque saber também se os médicos que você conhece ou com os quais tem mais afinidade e aceitam o plano que você está pensando em adquirir.

    O que é a carência?

    De maneira geral, a carência compreende o tempo para você poder começar a usar o plano de saúde após a contratação (4).

    Esse tempo para obter atendimento deve estar descrito no seu contrato de forma clara.

    Para ter uma base sobre a carência, existem limites de tempo que todos os planos de saúde devem seguir.

    A partir desse limite, as empresas que desejarem podem oferecer aos seus novos beneficiários um tempo menor de espera.

    • Para casos de urgência e emergência: 24 horas
    • Partos a termo sem complicações: 300 dias
    • Outras situações (como consultas agendadas): 180 dias

    Seus direitos com o plano de saúde (5)

    • Poder contratar um plano sem restrição de acesso por idade ou doença
    • Ter cobertura de todos os procedimentos determinados no Rol da ANS (que é uma lista padronizada)
    • Atendimento dentro dos prazos máximos
    • Reembolso em caso de falta de atendimento coberto
    • Portabilidade (mudança) para outro plano (de outra empresa) sem cumprir carência

    Este artigo te ajudou?

    Graduanda em enfermagem pela Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB - UNESP). Entrei na faculdade movida pela paixão e vocação de cuidar e ajudar as pessoas.Aqui no Vitalismo, tive oportunidade de alcançar e ajudar muitas pessoas além de meus pacientes.Desde o início da faculdade, minha área de interesse e vocação é a saúde da mulher (ginecologia e obstetrícia). Por isso, sempre estive envolvida em projetos de iniciação científica e de extensão que abordassem essa temática.Já fui presidente da liga de ginecologia da UNESP, organizei eventos e simpósios sobre o tema.Atualmente sou coordenadora do projeto Papo de Parto, em parceria com a UNESP e PROEX. Além disso, se você estiver em algum evento de ginecologia e obstetrícia, pode me procurar pois estarei lá!

    William Fan (Revisor)

    William Fan é médico graduado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) - Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB). Fez estágios clínicos em Oncologia Clínica e Medicina de Emergências na Prince of Wales Hospital, afiliada da University of New South Wales, Sydney, Australia (UNSW) e que faz parte do prestigiado Group of Eight, grupo que reúne as 8 instituições líderes de excelência em ensino e pesquisa da Austrália. Além disso, colaborou no desenvolvimento de um projeto científico da Centre for Vascular Research, na UNSW. Tem também publicações científicas em periódicos (revistas) internacionais de impacto na comunidade científica em áreas de pesquisa experimental e pesquisa clínica, abrangendo as áreas de biologia do câncer, doenças cardiovasculares, além de ser co-autor de uma revisão sistemática e meta-análise. Foi certificado pelo programa Sharpen Your Communication Skills da Stanford Graduate School of Business. Atualmente é revisor científico do Vitalismo. Seus interesse incluem entender como aplicar o conhecimento das pesquisas científicas com os melhores níveis de evidência no desenvolvimento de tecnologias para melhorar a saúde das pessoas. Nos momentos livres, gosta de estudar idiomas (atualmente fala Inglês, Chinês Mandarim e Alemão), fazer leituras, acompanhar debates inteligentes, jogar basquete e experimentar diferentes culinárias.

    Este artigo não possui comentários
        Deixe seu comentário

        O seu endereço de email não será publicado.