Viroses: Saiba Quais São as Mais Comuns e Seus Sintomas

As viroses são doenças muito comuns que afetam várias pessoas no mundo todos os anos.

Você sabia?

Afinal, com certeza você já teve algum tipo delas em algum momento da sua vida.

Aliás, as viroses são causadas por diferentes tipos de vírus e, por isso, causam diferentes doenças.

E quais seriam elas?

Nesse artigo você irá conhecer alguns tipos comuns dessas doenças.

Além disso, saberá o que fazer para preveni-las.

Quais são as principais viroses?

Existe uma variedade de viroses que afetam as pessoas. Mas, as que atingem o sistema respiratório e o gastrintestinal (que envolve desde a boca até o ânus) são as mais comuns. No entanto, hoje se conhece milhares de vírus que causam diferentes doenças e que podem afetar praticamente qualquer parte do corpo.

Além desses dois grandes grupos de viroses, outros tipos de infecções por vírus também são bastante conhecidas.

Como, por exemplo:

  • Febre Amarela
  • Dengue
  • Chikungunya
  • Febre Zika
  • AIDS

E, como se adquire essas doenças?

Em geral, a sua transmissão depende de qual é o tipo do vírus.

Por isso, ela ocorre de forma muito variada e pode ser diferente de acordo com cada doença.

Afinal, a virose é contagiosa?

Algumas delas são contagiosas e podem ser passadas de uma pessoa para outra.

Nas respiratórias você pode se contaminar por gotículas (1) da boca ou nariz de alguém doente.

A propósito, as gotículas são pequenas gotas que saem da boca ou nariz quando falamos ou respiramos.

De forma parecida, as gastrointestinais têm sua transmissão por essas gotículas e por via fecal-oral (ou seja, das fezes para a boca).

Isso pode acontecer por meio de alimentos e objetos que estejam contaminados.

Já a AIDS pode ser contraída (2):

  • Através de relações sexuais sem proteção
  • Pelo compartilhamento de agulhas
  • Por meio do contato com sangue de alguém que foi infectado
  • Quando uma mãe contaminada sem tratamento transmite para o filho (na gravidez, no parto ou na amamentação)

No entanto, algumas dessas infecções virais tem seu modo de transmissão bem diferente.

Um grande exemplo disso são os vírus que se espalham por meio da picada de mosquitos.

É o caso da febre amarela, dengue, febre zika e chikungunya.

Por isso, é importante conhecer os diferentes modos de ser infectado para poder se prevenir.

Sintomas das principais viroses e seu tratamento

Os sintomas de virose também variam de acordo com o tipo de vírus.

Nesse contexto, as viroses respiratórias (3) têm alguns sintomas que aparecem de forma frequente.

São eles:

  • Febre
  • Calafrios
  • Falta de apetite
  • Nariz escorrendo
  • Dor de garganta
  • Dor de cabeça
  • Cansaço
  • Tosse

Já as que atingem o sistema gastrointestinal (4) podem apresentar sintomas um pouco diferentes.

Ainda assim, também possuem alguns sintomas que podem aparecer com mais frequência.

São eles:

  • Vômito
  • Dor abdominal
  • Náusea
  • Febre
  • Diarreia

Geralmente, o tratamento dessas doenças é feito apenas para diminuir os seus sintomas.

Ou seja, em poucos casos o médico irá prescrever um medicamento para combater a causa: o vírus.

Um motivo para isto é porque antes de usar um antiviral, é importante identificar o vírus específico responsável.

No entanto, isto nem sempre é viável.

Além disso, nem sempre existem antivirais disponíveis para o caso.

Portanto, o que se busca é o alívio dos sintomas e o repouso para aguardar o corpo combater os efeitos do vírus.

Em todo caso, é importante consultar um médico para avaliar e tratá-la de forma adequada.

E como prevenir as principais infecções virais?

Para prevenir as viroses respiratórias e gastrointestinais você deve ter cuidados de higiene básicos.

Portanto, é preciso lavar bem as mãos com água e sabão de forma regular.

Essa lavagem deve ser feita sempre ao espirrar e ao ir ao banheiro.

Além disso, deve-se evitar compartilhar objetos pessoais como copos, talheres e toalhas de banho.

Também é importante fazer a lavagem cuidadosa de frutas e verduras.

Mas e as vacinas?

As vacinas também são medidas muito seguras e eficazes para diminuir o risco de contágio de algumas doenças.

Existem vacinas que atuam diretamente na prevenção de viroses, como a da gripe que é aplicada todo ano.

Por isso, não esqueça de deixar seu cartão de vacinação em dia.

Este artigo te ajudou?
(Autor)

Natural de Alfenas, Minas Gerais, Mateus Beker é discente de graduação no curso de bacharelado em Odontologia pela Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG). Atualmente, é bolsista do MEC pelo Programa de Educação Tutorial (PET) - Odontologia, instituído na Universidade Federal de Alfenas.Possui atividades de pesquisa relacionadas a ação anti-inflamatória de extratos e compostos bioativos de produtos naturais, assim como sobre a associação de determinadas variáveis no surgimento de lesões de origem endodôntica. Além disso, desenvolve trabalhos nas áreas de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial e Estomatologia.Outras áreas de seu interesse incluem Cirurgia Bucomaxilofacial e Implantodontia.Ele foi admitido na equipe do Vitalismo no ano de 2021. Como escritor especializado para os assuntos que abrangem a área Odontológica e outras temáticas relacionadas à saúde, procura apresentar informações de forma objetiva e compreensível, além de demonstrar a importância da procura por orientação adequada.

William Fan (Revisor)

William Fan é médico graduado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) - Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB). Fez estágios clínicos em Oncologia Clínica e Medicina de Emergências na Prince of Wales Hospital, afiliada da University of New South Wales, Sydney, Australia (UNSW) e que faz parte do prestigiado Group of Eight, grupo que reúne as 8 instituições líderes de excelência em ensino e pesquisa da Austrália. Além disso, colaborou no desenvolvimento de um projeto científico da Centre for Vascular Research, na UNSW. Tem também publicações científicas em periódicos (revistas) internacionais de impacto na comunidade científica em áreas de pesquisa experimental e pesquisa clínica, abrangendo as áreas de biologia do câncer, doenças cardiovasculares, além de ser co-autor de uma revisão sistemática e meta-análise. Foi certificado pelo programa Sharpen Your Communication Skills da Stanford Graduate School of Business. Atualmente é revisor científico do Vitalismo. Seus interesse incluem entender como aplicar o conhecimento das pesquisas científicas com os melhores níveis de evidência no desenvolvimento de tecnologias para melhorar a saúde das pessoas. Nos momentos livres, gosta de estudar idiomas (atualmente fala Inglês, Chinês Mandarim e Alemão), fazer leituras, acompanhar debates inteligentes, jogar basquete e experimentar diferentes culinárias.

Este artigo não possui comentários
      Deixe seu comentário

      O seu endereço de email não será publicado.